quinta-feira, 25 de abril de 2013

MÚSICA: Theme from Witches Dance, Paganini

Giovanni D'Andrea longa-metragem 010
CARTAZ DO CONCERTO QUE O GIOV. D'AND. FEZ JUNTO COM NICCOLÒ PAGANINI


Hoje, 25 de abril de 2013, eu tive a sorte e oportunidade, que poucas pessoas tiveram, de voltar no tempo, direto para 06 de julho de 1832, e ser apresentado no mesmo cartaz que o grande mestre virtuose do violino Niccolò Paganini. Ele que, pelo seu brilhantismo inusitado no instrumento, em vida sempre foi conhecido pelo fato de ter um pacto com o diabo. Não que eu acredite nessas crendices tolas... Mas, eu vi... Que tem, tem...

Compareceram nesta congregação, motivados pelo violino do diabo, Niccolò Paganini, várias espécimes de bruxas e magos, que ao som do theme from witches dance, cada um “teimou e enfrentou o mundo se rodopiando ao som” dos violinos... “Como fosse um lar, seu corpo à valsa triste, iluminava e a noite caminhava assim. E como um par, o vento e a madrugada iluminavam a fada, do meu botequim. Valsando como valsa uma criança, que entra na roda, a noite tá no fim”, “como se não fosse um tempo, em que já fosse impróprio se dançar assim...” Oswaldo Montenegro, Harry Potter, Hermione, Merlin, Merlusina, Maga Patalógica, Madame Min, Morgana e muitos outros... Alguns vieram de Vassouras/RJ, outros em seus unicórnios de dois chifres e outros ainda... Ah sei lá, que diferença isso faz ?  Eu nem falo francês, muito menos toco um ou mais BANDOLINS... Vieram andando, talvez...

Nós tivemos a oportunidade de apresentar o Theme from "Witches Dance" (que no futuro foi utilizado pelo professor Suzuki, numa metodologia de fácil leitura, que até eu que sou mais bobo consegui ler, sem professor... Claro, que tenho minhas dificuldades... Eu falo pra um dedo ir para esquerda e ele vai pra direita e vice-versa... Então, parece até que eu estou desafinando um pouco... Mas, sabe como é, né ? Os dedos da mão têm vida própria, nem sempre obedecem a gente...). Peço, também, desculpas pela qualidade do filme, porque eu estava em casa sozinho e eu mesmo tive que me filmar... E, sabe como é, também, né ? Recuperar um filme que é uma preciosidade de 1832... Nunca fica uma película muito boa... A qualidade do som também enfraquece um pouco... Não que eu tenha desafinado... Bom, é isto, fica meu abraço saudoso pro Paganinininini, além desta homenagem, ele que trouxe o melhor som que este planeta já ouviu... (Vide FRASE Nº 68... Pô, clica em FRASES... Não precisa saber contar, basta ver este desenho 6 8 e ler a frase... Tudo eu tenho que ensinar...)

Bom, aqui me findo, desta festa, lembrando você, caso tenha gostado, que tem mais violino surreal no vídeo do Salvador Dalí, pode ser que você goste ainda mais. Mas, caso não tenha gostado, vale a pena ir lá assistir, pois pode ser que você deteste ainda mais, mas pelo menos ria um pouco, porque afinal, para mim, só importa a sua felicidade...

OBS (ótimo, bom saber): A FRASE Nº 109 EXPLICA ESTE TEXTO.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A COR DA DEPRESSÃO (ciência e arte)


Numa relação entre as cores e a alegria, o Dr. Ludger Tebartz van Elst, da Universidade de Freiburg, na Alemanha, realizou pesquisa com dois grupos de 20 pessoas, sendo 50% diagnosticado com depressão e 50% sem o sintoma da doença. O estudo mostrou que pessoas depressivas são realmente menos sensíveis aos contrastes de cor e enxergam em tons de cinza, já que a doença causa uma alteração fisiológica na retina, cujo efeito é a perda de sensibilidade na visão, sendo este semelhante ao ato de diminuir o controle de contraste da televisão. Concluiu poder utilizar, no futuro, o teste de visão para medir os níveis de depressão em pacientes que apresentam sintomas da doença.  

FAÇA O TESTE CIENTÍFICO GD DA DEPRESSÃO

Vousse mieu ah mico. Vozê miua almiga.

Ki tah axanu qiu a vilda eh uma beuleuza Dilma gramdi xatisse, ki tudu dáu erradu sol pra vose, i purisso tal si sintinu meiu pra baixu, tipu capiongo, macambúzio, mazanza, sorumbático, espandongado...
  



















Obra: Luzes nas Farpas e Escarpas do Mundo, 80x60cm, Acrílica sobre Tela.

Si o primeru quadru vozce viu eli todu cinzel craru e çsynzal iscuru num si liga nuam, podi até ser quiu ocê tah bonzim da Silva, porqui fui o eu q paççei a fotu nu photu shopping.

Mais, avô ti dicer uma cousa, se vouzê auxa quiu sigundo quadru éu kiu tah coloridu de brancu craru i pretu escuru... 1 tah mau ein cumpadi ou cumadih...

Num éuh porkiu a viuda tem FARPA y ESCARPA, qiuh num vai teur LUZ tamém...  Jolga puera i dául má voltah pur Silma... Au au au vilda éuh xeia diu altu i baixu, foi açim ke na rouda gigamteuska mieu amiugu mancu mim insinuou... Logaritmo pêlo Quioto vezes u vi o Lino, miau ah mico, ateu jaz sabiá touca sonda curiosa idade engraxada Dilma vi dá ser ira...

Vozê princesa ri maiz, veum filmi din coméudia, paussiá, voultru filmi dim comeldianti... Issu o segredu num sol prau saiu da deupressaum, mais diu touda vilda, pra dáu tuldu serto - eh riu di tudu, atéu dah proupria disgrassa... Adispois num mi a diuga kiu num aviuzei...

ENCARE: CARA A CARA, A VIDA MUITO A SÉRIO E RIA DE TUDO, INCLUSIVE MENTALMENTE, A TODO INSTANTE, PRINCIPALMENTE DA PRÓPRIA DOR... MAS, CUIDADO, SÓ NÃO PODE RIR DA DOR ALHEIA...

Afinal, tudo na vida tem um propósito maior e tudo faz sentido, como por exemplo, a última frase de um parágrafo... Logo o ritmo, pelo que, outra vez, o violino, meu amigo, até eu já sabia tocar som da curiosidade engraçada de uma vida séria...

terça-feira, 9 de abril de 2013

Furto de Quadro da Bandeira do Brasil


Texto extraído de www.useabandeira.com.br


O quadro foi pintado por Décio Villares (1851-1931) sob orientação de Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos, que idealizaram a bandeira.

"Nos surpreende que, uma relíquia inestimável como essa, estivesse tão desprotegida e não tivesse sido resgatada como patrimônio cultural anteriormente, estando assim em algum museu para visitação pública. Esse é mais um exemplo do destrato com a nossa identidade Nacional". Afirma o Coordenador do Programa Use a Bandeira, Pedro Dória Fernandes.
Fachada da Igreja Positivista do Brasil, de onde foi furtada a pintura original da Bandeira do Brasil

Furtado o Quadro Original da Bandeira do Brasil -  PROCURA-SE

O desenho original da bandeira do Brasil, feito pelo pintor Décio Villares em 1889, foi furtado da Igreja Positivista do Brasil, na Glória (zona sul do Rio), em 27 de abril de 2010 .
Não há suspeitos do crime. A pintura vale cerca de R$ 50 mil, estimam especialistas, mas dificilmente alguém conseguirá vendê-la.
Segundo Giovane Fernandes, zelador da igreja, o ladrão arrombou uma porta lateral. Após tirar os parafusos de trás da estrutura de proteção, retirou a pintura, que estava sob um cavalete, sem quebrar a armação de vidro.
Segundo o presidente da igreja, Danton Voltaire Pereira de Souza, o caso foi denunciado à polícia. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O prédio da igreja, erguido entre 1890 e 1897, vem sofrendo deterioração nos últimos anos, tendo sido interditado pela Defesa Civil Municipal. Apesar de confirmar o furto da tela, o presidente da igreja não revelou em que momento foi descoberto o desaparecimento do quadro da bandeira nem a delegacia em que o crime foi registrado. O templo fica na região da 9.ª DP. O delegado Alan Luxardo não se lembrava do registro oficial do desaparecimento. "Se teve comunicação de furto, tem inquérito e está sendo investigado", afirmou Luxardo, que tentou localizar o registro, mas não o encontrou.

O projeto da Bandeira foi aprovado em 19 de novembro de 1889. A pintura pertence à Igreja Positivista porque Mendes e Lemos eram adeptos da igreja.




O Programa Use a Bandeira está oferecendo
através de seus colaboradores uma recompensa
de
R$ 10.000,00
para quem der
pistas que levem ao paradeiro da Pintura Furtada.



O e-mail para contato é colaborador@useabandeira.com.br

quinta-feira, 4 de abril de 2013

MUSEU Histórico do Exército e Forte DE COPACABANA


De cara vão meus parabéns aos jornalistas que conseguem cobrir a matéria, editar, revisar texto, trabalhar as fotos e enviar para publicação no mesmo dia... Eu disse no mesmo dia... Pois bem, vamos lá, acho que vai dar tempo.

Nesta manhã gostosamente ensolarada do hoje, de 04 de abril de 2013, após uma solenidade informal... Giovanni, se é solenidade, não pode ser informal, porque isto é exatamente o antônimo, se foi solene, então foi formal... Tá bom, muito obrigado...

Voltemos do início... Conforme a Teoria Cosmológica do Big Bang, a arte na criação do Universo... Não, por favor, não volte tão do início assim... Tá, obrigado de novo... Então, durante o Cretáceo, os dinossauros artística e levemente caminhavam... Adiante mais um pouco, provavelmente, assim, só será publicado no dia seguinte...

Os cânones d'arte na Mesopotâmia, cerca do VI milênio a.C., com o surgimento das primeiras civilizações... Mais, por favor...  Tá, tá, mas, assim não dá, haja paciência, eu preciso de mais liberdade para cobrir a matéria... Durante a Revolução Francesa, com a queda da Bastilha em 14 de julho de 1789, a arte conceitual... Por favor, tente falar só de hoje, do Museu do Forte de Copacabana e tal... Ok, vou tentar...

Nesta manhã gostosamente ensolarada do hoje, de 04 de abril de 2013, após uma solenidade quaaaaaaaaaseee informal... Isso, continue... Fiquei feliz agora... Com a presença da Simpaticíssima Professora Doutora Museóloga Marilda Reis, com a devida anuência do Excelentíssimo Senhor Comandante e Diretor do Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana, o Cel Art Jefferson Lages dos Santos, foi incorporado ao acervo da referida Instituição (militar, mas também muito artística, numa bela composição, inserida, ainda, numa mais bela paisagem, a qual aproveitei, solene e informalmente para tirar algumas fotos para a série “Rio de Janeiro Photográfico”) a obra “MEU BRASIL BRASILEIRO”, Acrílica sobre Tela, 60x80cm, datada de 23.03.2011, referente, como o próprio nome diz, ao MEU BRASIL BRASILEIRO...

Chega de falatório, quero ver foto, só acredito vendo... Tá bom, tá bom...




Acreditou agora? Sim, mas que cansativo... Ih, eu só queria contar como cheguei até aqui, desde o início... Sei...