quarta-feira, 27 de novembro de 2013

MÚSICA: O Timbal canta ZUMBI !

Giov. que sempre se orgulhou de suas raízes africanas, ver (página frases):

"FRASE 264 - QUÁDRUPLA CIDADANIA: Sou brasileiro, pelo jus soli, italiano do Paraguai, pelo jus sanguinis, com cabelo afrodescendente, que, quando retiro o boné, as """forças do mal""" insistem em dizer que eu alisei ou fiz escova... Menos... Nem penteio... Tem gente que se orgulha de ter dupla cid..."

Não poderia deixar de comparecer, dia 20.11.2013, no Panteão da Pátria (e voltar depois, ver postagem 22 nov), DF, para comemorar com seus irmãos de raça, o que foi valorizado pela:

"Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011 (que)
Institui o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra.
Art. 1º É instituído o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, a ser comemorado, anualmente, no dia 20 de novembro, data do falecimento do líder negro Zumbi dos Palmares. 
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 
Brasília..."

Mas, na verdade, fico muito chateado quando ouço comentários sobre qualquer tipo de preconceito, a impressão que tenho é que aterrissei minha nave no planeta errado, isto tudo é muito primitivo...
Não é nem falta de cultura não, é falta de inteligência mesmo, para o óbvio... 
Que estamos sujeitos às mesmas necessidades terrenas...

Il Battesimo di Cristo (2º Piero), Museu Memorial Pretos Novos
É meu amigão "Black and White" Michael Jackson, que viveu o duplo preconceito racial, que numa apresentação de pintura mediúnica no Rio Comprido, Rio de Janeiro, num bairro que não tem a arte de Paris, Roma ou Nova Iorque, ficou emocionado chorando por ver tanta arte, no plano espiritual (com 50 a 100 pintores, músicos, poetas, médicos, enfermeiros, aprendizes etc) e, mais uma vez, constatou que a vida é uma ilusão imensamente maior do que a própria morte. Muito embora você sempre tenha tido esta consciência do não preconceito. Assim como você, falo para todos:

"Eu estou cansado desse mal,
Eu estou cansado dessa coisa,
Eu estou cansado desse negócio,
Se você está pensando em ser meu irmão,
Não importa se você é preto ou branco...
É duro para todos sobreviver,
E eu falei sobre igualdade..."

E você, Paul McCartney, é verdade:
"Ebony and ivory live together in perfect harmony", sim,
"Ébano e marfim vivem juntos em perfeita harmonia,
Lado a lado no teclado do meu piano, Oh, Senhor, por que nós não?
Nós todos sabemos que as pessoas são iguais..."
 349 - TIMBAL: Ou qualquer outro percussão do gênero, nunca tinha colocado a mão antes de 20.11.2013 (vídeo 022); então coloquei o anel no polegar direito para potencializar o som e bati com os dedos soltos, como se fossem 5 varetas, enquanto a mão esquerda batia em concha, um pouco fechada. Pena não ter outro instrumento no pé ou sapato (propio pa baruio), para o pé que ritmava... Curti o momento...

350 - IMPLICÂNCIA: Se a carapuça lhe serviu, ainda que só uma beiradinha, quando falei [...] que preconceito é falta de inteligência, e isto magoou seu coraçãozinho, perdoe-me, mas não é nada pessoal, é que aqui na clínica, às vezes a gente precisa usar tratamento de choque... (ver 172)

PS (pra saber): (in) felizmente a gravação (quase) não permite ouvir o som do instrumento, mas quis dividir este importante momento... Também, por causa da gravação ruim, cortei o final, de um som nota dez, do Projeto Nota Dez, Percussão Afro Cultural com Ricardo de Xangô. (www.caraeculturanegra.com.br e www.caraeculturanegra.blogspot.com.br)

Pintura: Zumbi dos Palmares, de Antônio Parreiras.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Centro Cultural Três (3) Poderes


De volta na brasília amarela (ver postagem de 22.10.2013), os nós (giov. e d’and.) conhecemos o Centro Cultural Três Poderes, que é uma unidade administrativa da Secretaria de Estado de Cultura, subordinada à Diretoria de Patrimônio Histórico e Artístico do Distrito Federal, instalado em Brasília, que, para quem não sabe, mas que deveria saber, é a capital do Brasil. O centro coordena as atividades de três instituições - o Museu da Cidade, o Espaço Lúcio Costa e o Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves - e do Projeto Integração Museu-Escola.

{outras fotos no face...}
Estrelando, na foto, numa situação que dava um filme, clicada no Panteão da Pátria, Jussara de Almeida, Heloísa de Oliveira e grande elenco, tendo como pano de frente o painel da liberdade, verde (para quem é daltônico), de Athos Bulcão, tudo isto dentro de uma arquitetura modernista, simbolizando uma pomba, criada por Oscar Niemeyer; ocasião em que integrou no patrimônio público a obra “BANDEIRA DA REPÚBLICA DO DINHEIRO PÚBLICO QUASE DEMOCRÁTICO”.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Pintando a Opus 11, de Schumann

Tradução da linguagem musical para a linguagem pictórica, da Opus 11, de Robert Schumann, Sonata nº 1 para piano, de 1835.


Num almoço em família, em 17.11.2013, não obstante parecer que a casa está vazia de gente viva, Giov. é pego de surpresa e, embora não quisesse pagar mico, é filmado pelo pessoal de Roliudi, empresa  cinematográfica representada neste momento por Sand. D'And., camerawoman.

Opus 11, de Robert Schumann 50x70cm, acrílica sobre tela.

157 - FRASE MUSICAL: Veio uma em minha mente e fiquei repetindo por 3 dias. Aconteceu quando eu estava catalogando todas as músicas de Schumann (e convertendo de vídeo para áudio), sendo que consegui 80% e de quebra 3 filmes; até que ouvi a Opus 11, cujo início era esta melodia mental. Só espero que não tenha sido o próprio defunto músico que me inspirou. Que Deus o tenha em bom lugar, cruz credo...