segunda-feira, 28 de abril de 2014

PAGANDO MICO

FRASE 424 - PAGANDO MICO: Giov. no chão... Como foi local público (Forte do Leme), antes que acontecesse o famoso "vazô na net", eu mesmo publico o vídeo, 026. Por sorte não aparece meu rosto totalmente, mas infelizmente dá pra ver que sou eu. Foi divertido, alguns riram...



Mudando de assunto, assisti a uma palestra, certa vez, sobre uma pesquisa com três grupos de ratos, que eram alimentados com comida bastante gordurosa. Dois grupos desenvolveram doenças respectivas e alguns ratos morreram. No terceiro grupo nada havia acontecido. Buscaram saber o motivo, se haviam trocado os alimentos ou alguma outra espécie de erro na pesquisa. Descobriram que a única diferença, é que este grupo saudável era alimentado pelo vigia da noite. Conversando com ele e vendo que a alimentação gordurosa era a mesma, chegaram à conclusão, que o motivo deles estarem bem era o fato de que o alimentador passava a mão com carinho na cabeça dos ratos enquanto os alimentava. Talvez a alimentação que eu forneci não tenha sido a mais adequada, mas eu passei a mão com carinho na cabeça deles...

sábado, 12 de abril de 2014

OS GIRASSÓIS, de Gogh e de Giov.



1 – Vaso com Doze Girassóis, agosto de 1888.
2 – Vaso com Doze Girassóis, janeiro de 1889.
3 – Girassóis em um Vaso, agosto de 1888.
4 – Vaso com Quinze Girassóis, janeiro de 1889.
5 – Vaso com Quinze Girassóis, agosto de 1888.
6 – Vaso com Quinze Girassóis, janeiro de 1889.
7 – Vaso com Cinco Girassóis, agosto de 1888.


Em uma carta a Emile Bernard, Vinc. Van Gogh escreveu: "Estou pensando em decorar meu estúdio com meia dúzia de pinturas de girassóis. Decoração na qual haverá amarelos inteiros ou quebrados, que vão estourar contra vários fundos azuis, do mais pálido veronese ao azul royal, emolduradas com ripas finas pintadas de chumbo laranja, parecendo os efeitos de vitrais de uma igreja gótica." (Carta 665).

Os Girassóis, de Van Gogh, 70x60cm, MsT, 2002  (releitura da obra nº 4)
"Eu gostaria de fazer uma decoração para o estúdio, nada além de grandes girassóis ao lado de sua loja, no restaurante, como você sabe, há uma bela decoração de flores, tais lá... Ainda me lembro do grande girassol na janela. Bem, se eu executar esse plano vai haver uma dúzia de painéis. A coisa toda será, portanto, uma sinfonia em azul e amarelo; vou trabalhar todas essas manhãs, a partir do amanhecer. Porque as flores murcham rapidamente, é uma questão de fazer a coisa toda de uma só vez." (Carta 666).

Os Girassóis, de Van Gogh (ambientação com luz atrás)
Van Gogh descreve a origem das três primeiras obras desta série. Eu tenho 3 telas em movimento:
a. (foto 3) 3 grandes flores em um vaso verde , fundo claro,
b. (foto 7) 3 flores , uma flor que se foi para semear e perdeu suas pétalas e de um botão em um fundo azul Royal,
c. (foto 1) doze flores e botões em um vaso amarelo.
d. (foto 5) Assim, o último é luz sobre luz, e vai ser o melhor, eu espero.
Posteriormente, Vincent escreve (Carta 668): "Estou agora na quarta pintura de girassóis. Este quarto é um buquê de flores e está em um fundo amarelo."

Os Girassóis Brancos, 70x60cm, AsT, 2005
Vincent planejou obras de girassol para serem penduradas na “Casa Amarela”, que ele e seu amigo, o pintor Gauguin, usariam para um estúdio. Com a mudança das estações, ele só foi capaz de completar quatro obras de girassol, em agosto de 1888. Em janeiro de 1889, ele pintou mais três obras de girassol.

Os Girassóis Brancos (ambientação com luz atrás)
"Uma luz, que na falta de palavra melhor, não posso denominá-la de outro modo, senão amarela. Eu tenho um pouco de girassol" Van Gogh
“A luminosidade dos girassóis, de Vincent, com todos os tons de amarelo, contêm pedaços do sol.” Giov.
PS: Esta postagem é uma homenagem ao meu amigo Goghzinho, que muito tem contribuído na comprovação da continuidade da vida e a possibilidade de comunicação entre os dois planos, do mesmo mundo, demonstrando a realidade da eternidade do espírito imortal, através da pintura mediúnica, respeitando seu estilo pictórico filtrado pelas mãos grosseiras de um médium ao invés de um fino pincel, cuja renda é convertida em benefício da caridade. Nenhuma das fotos representam obras mediúnicas.