FRASES 3


Página continuação das FRASES, a partir da frase de número 855. A página de FRASES 1, que era esta, foi perdida e no seu lugar foi gerada, involuntariamente, uma réplica da página BABA. Criei a página FRASES 2, com a recuperação das frases (de 01 a 854) que consegui localizar, apesar de eu não haver feito cópia de segurança. Após criar a página FRASES 2, não consegui mais alterá-la, e, nem mesmo no título, por isto esta página leva a numeração 3. Resumindo: começa no número 2 e continua aqui, no 3.
MENOS BOM: Quando em uma frase (nesta página) eu me referir à outra de numeração abaixo de 854 (inclusive) a consulta deverá ser feita na página FRASES 2.


Página BABA atualizada para dia 21/07/2017.
NESTE QUADRADO, HOMENAGEIO SALVADOR DALÍ E SUA "DECLARAÇÃO DE INDEPENDÊNCIA DA IMAGINAÇÃO E DO DIREITO DO HOMEM À SUA PRÓPRIA LOUCURA" OU CONVERSO COM OS PERSONAGENS PSÍQUICOS DE SCHUMANN OU COM MC (MINHA CRIANÇA ADULTA), SEM COMPROMISSO COM A VERDADE OU CONTEÚDO APROVEITÁVEL. DIFERENTE DAS FRASES ABAIXO, QUE SÃO 100% A MAIS PURA EXPRESSÃO DA VERDADE QUE VIVENCIO, CUJOS RELATOS SÃO IMPESSOAIS, EMBORA ÀS VEZES EU DEIXE DE RELATAR, OU RELATE BEM MENOS DO QUE ACONTECEU, POR MOTIVOS PARTICULARES.  *.*.*.*
03.05.2017. AH...MOR VAI DAR TUDO CERTO, AFINAL DEUS GERENCIA O UNIVERSO COM UMA FACILIDADE QUE NÃO TEMOS COMO AVALIAR. O importante é que eu sempre estarei lhe enviando boa vibrações. Fica com DEUS !!! Não se preocupe comigo, estou bem............. outracoisa tentanão cansarsua beleza valeu 06.05.17 MC, que fim levou você? Você está bem de saúde? Afinal, não precisou fazer nenhuma cirurgia? KIBON, fiquei muito feliz por você estar realmente bem. TUDO PASSA, TUDO É PASSAGEIRO, inclusive o motorista e o trocador se morrerem, forem despedidos ou se aposentarem, antes da Reforma da Previdência... Se-cuide. 
                                                            





864 - Acordei muito bem na manhã de 13.04.2017, apesar do sonho. Sonhei que estava atravessando a rua e veio um veículo e, na hora fiquei na dúvida se atravessaria ou não, sendo que não deu tempo de atravessar e fui atropelado. Neste momento, senti Jesus, sem O diminuir, pelo contrário, até com mais poder, com a aparência de uma pessoa qualquer do mundo, como um disfarce para Ele caminhar pela multidão, sem ser notado; mulato escuro, cabelos encaracolados, bem maduro, sorrindo e fumando cachimbo (lembrei da imagem do "preto velho", divulgada na religião umbandista) dizendo algo como "estar ali muito tranquilo dirigindo a humanidade". Acordei imediatamente, pensei ter morrido e fui devagar movimentando um dos braços pela barriga e, feliz, cheguei à conclusão de que era só um sonho. Mentalmente, Sai Baba me perguntou brincando: "Mas você não fala que quer morrer? Posso lhe dar uma ajudinha". Na verdade sempre falo isso brincando, não por tristeza, muito pelo contrário, estou sempre tão bem e feliz que falo que já podia ir embora. Neste mesmo dia, ao atravessar uma avenida no Centro do Rio de Janeiro, com os carros parados longe pelo sinal que acabara de abrir, veio um carro veloz, da curva, e a sensação de dúvida (se atravessava ou não) do sonho se repetiu, então ato reflexo, involuntário, pulei para trás com os dois pés juntos. A moça que estava atrás de mim (que não seria atropelada, caso eu fosse) ficou num leve estado de choque, caminhando vagarosamente e balbuciando algo ininteligível. E do outro lado da avenida, relativamente distante, um senhor ficou gritando e xingando, por bastante tempo, o motorista que quase me atropelou, até que eu o acalmei e falei brincando que fora previsto ("hoje") de manhã, quando sonhei com Jesus.

863 - ANOS APÓS: Eu ler em um livro de um devoto do Sai Baba, em que o escritor disse que esteve em uma situação que considerou que o Sai Baba encolheu o carro em que ele estava para que o mesmo não batesse ou esbarrasse nas laterais e ainda me questiono se este escrito é o fruto de um exagero de devoção, onde o fanatismo se confunde com a realidade ou se Sai Baba realmente "encolheu o carro" (seja como for, diminuindo espaços entre átomos, expandindo-os ou por qualquer outro meio que a ciência da Terra desconhece), haja vista Ele ter demonstrado inquestionáveis e incontáveis fenômenos tidos na conta de milagres, que neste caso seria apenas mais um e... No dia 21.08.2016, após Jota (frase 469) sair da minha casa, passado um tempo Ele me ligou e disse que havia tido um acidente com Ele no carro novo e que só não tinha estragado mais o carro porque Ele havia encolhido este. Ao ouvir esta parte fiquei pensativo e não prestei muita atenção no resto da conversa, sendo que Ele repetiu mais uma vez. Passado um tempo e eu ainda pensativo, pois eu nunca havia contado para ninguém e Ele tornou a ligar e reforçar esta ideia de que havia encolhido o carro e por isto o estrago não era tão grande e que iria mandar a foto; que posteriormente enviou pelo whatsapp. Mais uma vez, dentre centenas que nem cabem os relatos, Ele demonstrou que conhecia um pensamento meu que nunca relatei para ninguém. Quando voltou novamente em minha casa, apesar de ter dito que já havia consertado o carro, ainda tinha um pequeníssímo amassado no mesmo. Achei a foto estranha, pois parece que a mesma foi tirada pelo lado de fora (e Ele estava dirigindo) com o carro em movimento (embora já estivesse parado com a batida no poste), ver foto.


862 - 26.11.2016: Jota (um amigo especial como outro qualquer) chegou cantando esta música. Ele pesquisou no celular, porque eu não conhecia, e a partir do celular dele, eu mesmo enviei para mim, pelo whatsapp, há mais de 2 hs e não chegou pra mim, apesar de eu ter visto no meu perfil, no celular dele. Eu pesquisei agora para enviar. Da letra dá para se extrair uma norma de conduta. Trouxe um abajur com uma cúpula. Peguei 02 lâmpadas para ver se o abajur funcionava. A lâmpada que tirei ontem do meu lustre (porque troquei) não funcionou. Somente a outra funcionou. Pensando na possibilidade de ser um ""truque"" dele, que estava distante fisicamente, fui ao quarto testar a lâmpada que tirei do lustre e esta estava boa. Ao retornar já havia outra cúpula de 15cm de altura por 16cm de diâmetro, em cima da minha mesa de 80cmX80cm, que estive próximo nos 30 minutos em que ele já estava em minha casa. Ri bastante e ele disse que havia trazido agora (no momento da conversa) do além. Sei lá, não chegou com esta outra cúpula. Posteriormente, quando Jota já havia ido embora, recordei-me que assim que ele chegara, ele falara de uma outra cúpula de cristal ou vidro que estava em seu carro. Demorei segundos no quarto, para testar a lâmpada, tempo insuficiente até mesmo para chamar o elevador para ir buscar a cúpula no carro. Esta lembrança descarta a hipótese de eu estar distraído e não reparar a segunda cúpula em cima da pequena mesa, antes de voltar do quarto.

861 - 22.10.2016: Sai Baba na forma J (469) veio me buscar para saírmos. Foi um encontro agradável como sempre. Fomos em outra cidade, Ele foi dirigindo em Seu carro novo, conversamos, almoçamos, rimos, aprendi muito, e, dentre outras coisas, que já relatei parecidas, trouxe outro anel de rubi, que troquei com Ele, talvez provisoriamente. Foi como no primeiro anel, de início não gostei, mas depois mudei de ideia, situação que não lembro de ter acontecido antes com algum bem material que adquiri ou simplesmente pensei. Ver foto.


860 - 06.10.2016: Não acordei nada bem neste dia. E, conversando com Deus, falei (em pensamento) para Ele me levar em meu compromisso e ainda brinquei, de preferência, fisicamente e não somente me dando forças. Reuni forças e fui, normalmente, como todo mundo. Almocei tarde, na rua, sendo que neste momento, por estar sozinho e mentalmente desocupado, meu pensamento tendeu a me levar para uma atitude mental um pouco negativa e, como sempre acontece nos últimos mais de dois anos, Sai Baba na forma J (ver frase 469) me ligou e me "distraiu" mentalmente e depois, sem eu pedir, combinou de me levar para casa de carro. Mais tarde, ligou novamente e foi me buscar e me trouxe até minha casa. Curiosa e distraidamente me deu um embrulho com empadão de frango, dizendo que queria de camarão e este veio errado. Sendo que no dia anterior, passei em frente a uma lanchonete e tive uma vontade muito forte de comprar um empadão grande e comer todo, embora eu não tenha este hábito e nem goste tanto. Não comprei e não contei a ninguém. Depois que Ele se foi minha saúde voltou normalmente.

859 - 20.09.2016: Neste dia, no período noturno, Sai Baba na forma J (469) veio me visitar com Sua "esposa" (ver frase779) e "filho" (entre aspas, porque não posso afirmar se são agêneres, ver frase 664, no conceito de São Luís - [...] Pedimos ao Espírito São Luís que nos esclarecesse sobre esses diferentes pontos, dignando-se responder às nossas perguntas: [...] 8. Se um ser semelhante se nos apresentasse, haveria um meio de o reconhecer? Resp. — Não, a não ser que o seu desaparecimento se fizesse de modo inesperado [...], Allan Kardec. Assim como não posso afirmar de Jota, somente porque Ele já desapareceu na minha frente, vez que Ele difere dos agêneres, por ter uma vida na Terra aparentemente normal, com carro, casa, CPF etc). Ainda, fechando a porta, Ele causou em mim uma ilusão de ótica, por indução mental, que por segundos me fez acreditar que havia uma aranha gigante subindo na porta, pelo lado de fora. Não me assustei, foi tranquilo, pois imediatamente lembrei-me da materialização de aranhas no Centro Tenda dos Irmãos do Oriente, em Botafogo, Rio de Janeiro, durante a apresentação de pintura mediúnica e de muitos outros casos que aconteceram comigo sem testemunhas. Ao me recompor, reparei que no capuz da blusa da criança, havia o desenho de muitas pequenas aranhas.

858 - 04.09.2016: Neste dia Sai Baba na forma Jota (469) veio até minha casa e me levou para conhecer a Sua (Ele sempre menciona que tem duas, uma em Nova Iguaçu, que conheci, e outra na Ilha do Governador). Fomos em Seu novo que acabara de comprar e que, inclusive, deixou uns dias comigo, ainda sem placa. Mesmo sem eu pedir, Ele oferece, insistentemente, Seu carro novo pra mim. Lá chegando, pude ver o meu carro, que havia emprestado para Ele e também o outro Dele (ver frase 850). Uma casa pequena de dois cômodos, tendo fechado um e aberto pra rua, onde disse que havia alugado pra um borracheiro que deixou os pneus lá e não voltou mais, ao falar isto, levantou a porta comercial de frente para a rua e eu pude conferir. O outro cômodo era muito mais do que se costuma chamar de "quartinho da bagunça", pois mal se consegue entrar de tantas coisas com poeira e faltando pedaços, como se fosse uma pessoa super simples e desorganizada. Em suma, não havia nenhum móvel que fizesse parecer, de longe, que aquela casa era uma residência habitável. No quintal, há uma pequena piscina, que imediatamente algumas poucas crianças e vizinhos chegaram e nitidamente se mostraram felizes. Tudo muito simples e cativante. Ele disse que antes da morte da primeira esposa (que conheci rapidamente, ver frase 843) e que, segundo Ele, faleceu de câncer, era uma casa normal.

857 - 27.08.2016: Fui almoçar com Sai Baba na forma J (469), que com um olhar e sorriso e não por palavras, autorizou-me a tirar uma foto Sua, mas me surpreendeu tampando o rosto. Para mim foi melhor, porque se aparecesse o rosto por completo eu mesmo ficaria constrangido em expô-lo desnecessariamente, haja vista Ele ser conhecido de um número razoável de pessoas. Inobstante este almoço farto regado a chopp pareça a cultura do materialismo (embora esta cultura esteja muitas vezes mais na mente do que propriamente na conduta), estes encontros são minhas maiores experiências espirituais na presente encarnação, mesmo eu já estando acostumado com a prática do desdobramento astral por alguns anos e com a pintura mediúnica por muitos anos. Este cordão que Ele está usando é o meu que havia emprestado para Ele, assim como emprestei meu carro, que Ele veio dirigindo e não cobrou pela lanternagem que precisava em dois pontos que alguém esbarrou com o carro parado e não tive tempo de arrumar, sem eu pedir.

856 - CLUBE: Em um dos encontros de 2015, Sai Baba na forma Jota (469) me trouxe alguns cartões postais escrito um nome, que me recordei de ser de antigo clube, que meus pais haviam sido filiados, inclusive cheguei a ver a carteirinha de associado. Joguei-os fora e guardei apenas um. Confirmei o nome com a família para não correr o risco de me enganar. Eu estava certo, Jota acertara no nome do clube, o Motel Clube do Brasil. 

855 - MOISÉS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O monólogo do artista passa a estabelecer diálogo com o público quando sua arte é comentada...